Agronegócio

Demanda

Demanda se aquece e preços sobem na 1ª semana do mês
A demanda por ovos aumentou na primeira semana de novembro, permitindo que agentes elevassem as cotações pedidas pelo produto pela segunda semana consecutiva. Apesar das valorizações, segundo colaboradores do Cepea, vendedores de algumas das regiões acompanhadas têm tido dificuldades em repassar os preços, principalmente no varejo, levando-os a conceder descontos para conseguir efetivar vendas. 

09/11/2020

Mantém Firme

Preço cai em SP, mas se mantém firme nas demais regiões do País
Neste início de mês, os preços do milho vêm registrando comportamentos distintos dentre as regiões acompanhadas pelo Cepea. Segundo pesquisadores, em São Paulo, compradores estão mais ausentes, resultando em pequenas quedas nos preços. Assim, depois de o Indicador ESALQ/BM&FBovespa (região de Campinas/SP) subir por semanas consecutivas e atingir recorde real no final de outubro, voltou a cair neste começo de novembro – o recuo é de 0,7% na parcial do mês, a R$ 81,32/saca de 60 kg na sexta-feira, 6. Nos portos, a desvalorização do dólar também pressionou as cotações. Já nas demais regiões acomp

09/11/2020

Registros

Mapa suspende 31 mil registros de pescadores artesanais para averiguar divergências
OMinistério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) suspendeu 31.903 registros de pescadores

07/11/2020

Acordo

Produtores rurais poderão aderir ao programa de renegociação de dívidas até 29 de dezembro
Produtores rurais, pessoas físicas ou jurídicas, inclusive os agricultores familiares, terão até 29

07/11/2020

Melhor Café

Mulheres vencem a 5ª edição do Concafé; força feminina na cafeicultura é evidenciada por meio de nota histórica
Parafraseando a célebre frase da mais famosa premiação de cinema que existe no mundo, há de ser dito

07/11/2020

laranja

Preços da laranja seguem em alta em SP
Os preços da laranja de mesa continuam em alta neste início de novembro. A média da parcial do mês (

06/11/2020

Preços

Mercado interno aquecido mantém preço recorde no BR
Neste início de novembro, os preços da carne de frango registram novos avanços no mercado atacadista. Segundo pesquisadores do Cepea, esse período de primeira semana do mês tende a aumentar a demanda da população. Assim, para algumas regiões e produtos, os atuais valores registrados no setor avícola são recordes reais da série histórica do Cepea. Em outubro, os embarques brasileiros de carne de frango in natura recuaram, mas os preços domésticos da carne seguiram em alta na maior parte do mês, sustentados pelo mercado brasileiro da proteína bastante aquecido, especialmente devido à competitividade recorde dessa proteína em relação às substitutas, bovina e suína. 

06/11/2020

EXPORTAÇÃO

Exportação aquecida reduz disponibilidade interna e eleva preço
As cotações tanto do animal quanto da carne seguem tendência de alta na maioria das praças acompanhadas pelo Cepea, renovando, portanto, os recordes reais da série do Cepea em algumas regiões. No mercado independe de suínos, as valorizações mais intensas são observadas nas regiões Sul do País, enquanto muitas praças no Sudeste permanecem sem alterações nos preços. Segundo pesquisadores do Cepea, as exportações em ritmo aquecido em outubro limitaram a disponibilidade da proteína no mercado doméstico e, consequentemente, elevaram os preços internos. De acordo com relatório da Secex, em outubro, o Brasil exportou 77,4 mil toneladas de carne suína in natura, volume 1,8% acima do observado em set

05/11/2020

Grãos Inteiros

Média mensal registra 7ª alta consecutiva
Outubro se encerrou com ligeira melhora na liquidez e preços em alta. A média do Indicador do arroz ESALQ/SENAR-RS, 58% grãos inteiros, com pagamento à vista, subiu 0,95% frente à de setembro, a R$ 105,38/saca de 50 quilos no último mês, o sétimo seguido de alta. Na última semana de outubro, compradores mostraram interesse nas aquisições para repor estoques, ainda atentos à possibilidade de importação a preços competitivos, enquanto vendedores também estiveram dispostos a negociar, mas a valores firmes. Nesse cenário de melhora na liquidez, o Indicador registrou caiu ligeiro 0,7% entre 28 de outubro e 4 de novembro, fechando a R$ 104,39/saca de 50 kg nessa quarta-feira, 4 – o recorde real da

05/11/2020

SUSTENTABILIDADE

Estudo mostra redução de 26,8 milhões de hectares de pastagens degradadas em áreas que adotaram o Plano ABC
Estudo realizado pelo Laboratório de Processamento de Imagens e Geoprocessamento da Universidade Federal de Goiás (Lapig/UFG) avaliou, com base na classificação automática de imagens de satélites da série Landsat, o grau de degradação das áreas de pastagens no Brasil no período de influência do Plano ABC (Agricultura de Baixa Emissão de Carbono) e verificou expressiva redução no número de propriedades com áreas de pastagens com degradação severa e moderada entre 2010 e 2018. O estudo aponta que, no período de 2010 a 2018, foram recuperados 26,8 milhões de hectares de pastagens degradadas, número bem superior à meta estabelecida pelo Plano ABC, de 15 milhões de hectares. A área recuperada

05/11/2020

Outras categorias