Edimar Kapiche esclarece na tribuna da Câmara seu posicionamento frente o sorteio do Residencial Cidade Verde

Publicado 15/04/2021
Atualizado 15/04/2021
A A
Foto: Assessoria

Durante discurso na Câmara, o vereador Edimar Kapiche (PSDB), fez questão de deixar bem claro aos Cacoalenses, principalmente as 2.800 pessoas envolvidas na polêmica do sorteio das 300 casas do residencial Cidade Verde, qual seu posicionamento frente essa questão.

“Quero deixar bem claro a toda população de Cacoal, a todas as pessoas que me conhecem. 
Estou aqui nesse parlamento para honrar a confiança das pessoas e doa quem doer, serei independente sempre. 

Não vou puxar nem pra lado A, nem lado B, se estiver correto, tá correto, se está errado, tá errado. 
Agora que não venha certas pessoas jogar o meu nome em rede social, dizendo que o vereador Kapiche, é puxa saco, dizer que o vereador Kapiche é isso, ou aquilo. 

Diferente desse membro do parlamento, fui buscar informação em relação ao Residencial Cidade Verde, que começou lá em 2018.

Foi aberto o processo de inscrição, onde foram aptas a concorrer ao sorteio, 2.800 pessoas.

Quando digo 2.800 pessoas, é pra respeitarmos a ordem cronológica, é pra gente saber de todo o processo.

Agora, não tem como chegar em um ministério, um órgão federal e dizer ao secretário de habitação, tá aqui um sorteio realizado no dia 22 dezembro de 2020, não, nós temos que ter todo um processo dentro da legalidade” explicou o vereador.

Kapiche continua; “Pergunta para vereador dessa casa, se ele sabe, pelo menos o nome do ministro do desenvolvimento regional. Pergunta se ele sabe, ao menos, quem é o secretário de habitação, ele não sabe, mas na hora de ficar gravando áudio com nome, de membros desse parlamento e jogando na rede social pra ter a publicidade política, ele é mestre de fazer isso” desabafou. 

Edimar disse ainda; “Tenha responsabilidade, vereador, o senhor tem que ter responsabilidade, pense no psicológico dessas famílias.

Eu mostro aqui pra quem quiser, tem gente precisando de atendimento psicológico por causa dessa situação irresponsável.

Eu recebi uma mensagem no último final de semana que é de cortar o coração da gente.

Uma mulher dizendo que tá pensando até em tirar a própria vida por conta desse sorteio mal feito” frisou Kapiche.

“Então nós temos que ter responsabilidade, porque as pessoas que não foram sorteadas, dizem você tá do lado de quem foi sorteado, aí quem foi sorteado, ah você tá do lado de quem não foi sorteado, nós estamos aqui pra representar o interesse público, nós não estamos aqui pra (OBA, OBA), não, Vereador” Pontuou Kapiche.

Fonte: Assessoria